Business Continuity

Com o lançamento da suite Symantec Storage Foundation 6.1 foi apresentada uma nova feature denominada FSS (Flexible Storage Sharing). Esta feature tem como objetivo uma quebra de paradigma. A possiblidade de implementar um ambiente com alta disponibilidade com ou sem DR sem a premissa de compartilhar o storage entre os servidores envolvidos. Esta feature permite a virtualização do storage local entre dois ou mais servidores.

Com a utilização do FSS é possível montar uma solução de alta disponiblidade sem a necessidade de compartilhar o mesmo storage, eliminando assim um ponto unico de falha. A partir desse momento esta tecnologia tem como objetivo sincronizar os dados via lan entre os discos de forma individual e não mais compartilhado, mantendo todas as garantias de integridade dos dados proveniente das versões anteriores do produto.

Ampliando a linha de atuação além de ter simplesmente um ambiente de alta disponilidade sem storage compartilhado, podemos pensar em diversos cenários para fazer uso melhor desta feature, podendo atender diversas camadas do mercado tecnológico, vamos a eles

- Campus Cluster

    Uma vez que não existe mais a necessidade de compartilhamento dos discos, é possível montar Campus Cluster com FSS sem a necessidade de uma SAN estendida, diminuindo assim os custos do projeto como um todo.

    O conceito de campus cluster é um modelo de implementação bastante utilizado por empresas com Veritas Cluster seja ele com filesystem compartilhado ou não. Este modelo tem como base a configuração de um cluster unico com servidores entre sites, mantendo todas as features do produto. Com esta implementação é possível garantir uma disponibilidade ainda maior pois a acessibilidade dos dados estarão entre sites distintos.

    Com a chegada do FSS, este tipo de implementação tornou-se menos complexa, uma vez que em versões anteriores era exigido a tecnologia de SAN estendida para que o Storage Foundation pudesse enxergar ambos os storages em sites separados para garantir assim a disponibilidade e a integridade dos dados.

- Tier 0 para aplicações com Smarttier

    O Conceito de smarttier é bastante promissor junto ao storage foundation. Consiste na capacidade de efetuar a tierização dos dados em tempo de execução, ou seja, durante a criação do arquivo. Vale ressaltar que neste ponto de vista nenhum player de hardware e/ou software foi capaz de alcançar.

    A possiblidade de utilizar FSS com smarttier aumenta ainda mais a sua força de tierização, podendo eliminar o barramento de comunicação em casos extremos, pois atualmente grandes players de hardware já possibilitam a entrega dos servidores com discos ssd internos. Desta forma é possível montar uma solução altamente customizada envolvendo storage e ssds internos ou até mesmo placas pci flash. Neste caso é denominado um novo conceito chamado de Tier 0. Este sendo mais rápido que o proprio ssd do storage pois elimina a utilização do barramento como mencionado acima.

    Esta solução pode ser aplicada a qualquer aplicação e/ou banco de dados sem nenhuma restrição. Dessa forma é possível efetuar um estudo do comportamento da aplicação e entende-la quais são suas necessidades do ponto de vista de performance, para que possa ser feito uma customização junto ao Storage Foundation com o objetivo de melhor suportar o ambiente.

- Tier 0 para banco de dados Oracle e/ou Sybase

    O Storage Foundation possui um pacote chamado SFDB tools. É um verdadeiro canivete suiço que deve ser utilizado em conjunto com banco de dados seja ele oracle ou sybase. Este pacote abre um leque imenso de features para o banco de dados em utilização com o storage foundation. O mais importante, este pacote é administrado pela propria equipe de banco de dados, habilitando features como por exemplo a movimentação de tables spaces para areas mais nobres do storage ou até mesmo placas pci flash. Dessa forma o administrador de banco de dados pode fazer esse tipo de movimentações em momentos cruciais tais como crise, migrações, testes de desempenho entre outros.

- Clusters para ambientes SMB

    Com a chegada do FSS e a possibilidade de virtualizar o storage local entre servidores distintos se forma um novo conceito sobre alta disponiblidade como já mencionamos anteriormente neste artigo. Entretanto existe mais um ponto a ser explorado que é a utilização do storage foundation cluster filesystem para ambientes sem storage, ou seja, apenas com discos locais, seja eles ssd, pci flash ou até mesmo sata, dependendo apenas da necessidade do cliente.

    Desta forma é possível definir um novo conceito sobre disponibilidade. Anteriormente era entendido que alta disponibilidade estava associado a uma infraestrutura complexa com diversos componentes e pontos de falha, tais como: Storage, Fiber Channel, Switchs de comunicação entre outros. Todos redundantes. Com a chegada do FSS eliminamos todos estes pontos de falha, diminuindo sensivelmente os custos do projeto, podendo assim atingir outros niveis de mercado.